Notícia

Efeitos diretos e externalidades
    impacto ambiental

    Dois lados de uma moeda valiosa

    Uma forma de medir as consequências dos impactos ambientais causados por um produto é apurar, com o uso de técnicas de Valoração Econômica de Recursos Ambientais, as chamadas "externalidades". Trata-se dos custos pagos pela sociedade para cobrir, por exemplo, o passivo criado pela extração (e consequente escassez para as gerações futuras) de recursos naturais não renováveis, ou para dar conta de despesas geradas pela degradação do meio natural, como os gastos com saúde pública para atender à maior incidência de doenças respiratórias causadas pela pior qualidade do ar nas grandes cidades, provocada em grande parte pela emissão de gases das frotas de veículos.

    Outro exemplo de externalidade amplamente noticiado é o impacto causado pelos resíduos plásticos descartados de forma incorreta. Considerando-se apenas os ecossistemas marinhos, as cifras superam 13 bilhões de dólares por ano, de acordo com estimativas da consultoria inglesa Trucost, especialista nesse tipo de cálculo. Embalagens respondem por cerca de 40% do consumo de plásticos, e 80% delas são descartadas após um único uso. Tal cenário reforça a responsabilidade dessa cadeia produtiva na busca por soluções que minimizem o impacto da atividade humana sobre o planeta, mas que evidencia também a necessidade de haver amplas campanhas de educação para que o descarte seja feito de forma adequada.

    Uma análise mais ampla do contexto, no entanto, ajuda a enxergar  outro lado da questão. Segundo dados da FAO, órgão das Nações Unidas responsável pelo combate à fome no mundo, a produção de alimentos é responsável por aproximadamente um terço das emissões de gases de efeito estufa - número que impressiona especialmente quando se verifica o quanto se desperdiça entre a produção e o consumo. Cerca de 23% da carne produzida no mundo são perdidos antes de ser consumidos. Em laticínios, as perdas são de 16%. Nos grãos, 14% do que é colhido não é consumido. Projeções feitas pela Plastics Europe, associação europeia de plásticos, contudo, estimam que o uso de embalagens adequadas poderia reduzir essas perdas em 20%, índice que chega a 30% quando se consideram apenas as embalagens plásticas. Os cálculos são feitos levando-se em conta o impacto adicional representado pela embalagem e a quantidade de alimento que deixa de ser desperdiçado pelo uso dos invólucros (veja os exemplos na tabela abaixo).

    Em outras palavras, a avaliação do impacto ambiental de um produto pode ser calculada com base no custo total, incluindo-se aí as externalidades causadas ao longo de todo o seu ciclo de vida, desde a extração de recursos naturais até a disposição final pós-consumo.

    Impactos no acondicionamento de 1kg de alimento

      Carne Iogurte Arroz
    Massa de embalagem 12g 23g 2g
    Custo total da embalagem (USD) 0,004 0,008 0,0007
    Valor protegido por desperdício evitado (USD) 0,59 0,032 0,03
    Relação entre valor protegido e custo 148 4 43
    Compartilhe
    1 voto
    TAGS: sustentável, impactos ambientais, Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), metodologia, mensuração, conhecimento técnico, estudo, alimentos

    Não encontrou o que procura?

    Escreva abaixo os assuntos sobre embalagens que você gostaria de ver por aqui.